Consumo de alumínio recua 10,6% no ano de 2009

SÃO PAULO, 19 de abril de 2010 - O consumo doméstico de produtos transformados de alumínio, no ano passado, foi de 1.007,9 mil toneladas, o que corresponde a queda de 10,6% em relação as 1.127 mil toneladas consumidas em 2008, anunciou nesta segunda-feira a Associação Brasileira do Alumínio (ABAL).

Mesmo com a queda, que interrompeu série de cinco anos contínuos de crescimento, nota-se que o consumo apresentou recuperação gradual a cada trimestre. No último trimestre de 2009, de acordo com a ABAL, o volume consumido foi 6,3% maior que o registrado no mesmo período do ano de 2008, quando a economia sentiu os primeiros sinais da crise econômico-financeira.

"Em 2009, a queda de consumo de alumínio atingiu praticamente todos os setores da economia, com exceção de Embalagens, que apresentou crescimento de 5,4% em relação a 2008. Já em 2010, a expectativa é que todos os segmentos registrem crescimento, acompanhando o próprio desempenho da economia nacional", acredita Mauro Moreno, coordenador da Comissão de Economia e Estatística da ABAL.

Para 2010, a ABAL prevê retorno do mercado interno aos níveis de 2008 e estima um consumo de 1.221,9 mil toneladas, alavancado, principalmente, pelos produtos Chapas (+19,8%), Extrudados (+24,5%) e Fundidos (+12,5%).

(SV - Agência IN)