Belo Monte: governo quer recorrer hoje do adiamento de leilão

Laryssa Borges, Portal Terra

BRASÍLIA - O advogado-geral da União Luis Inácio Adams, afirmou nesta segunda-feira que o governo pretende recorrer ainda hoje da decisão que cassou, em caráter liminar, a realização do leilão da usina hidrelétrica de Belo Monte. De acordo com o ministro, que já informou a setores do governo da nova sentença contra o leilão, agendado para as 10h desta terça, o caso pode se tornar "uma guerrilha processual", uma vez que ainda existem outras ações judiciais contestando a construção da usina no Pará.

De acordo com a Advocacia Geral da União, o governo já esperava uma nova paralisação provisória do processo de leilão e já tinha elencado argumentos para derrubar a tese de que haveria irregularidades na concessão do licenciamento ambiental da hidrelétrica.

Foram argumentos de irregularidades no licenciamento, como a falta de realização do número devido de audiências públicas e a ausência de atestados sobre a futura qualidade da água na região que motivaram a suspensão do leilão pelo poder judiciário no Pará.

"Todos os requisitos para o licenciamento foram cumpridos. O adiamento do leilão criaria uma expectativa negativa, mas não creio que isto vá acontecer. Este debate sobre Belo Monte acontece há 30 anos", disse Adams.

O novo recurso da União poderá ser apreciado pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região a partir da noite desta segunda-feira.