Previdência privada movimenta R$ 38,8 bilhões em 2009

SÃO PAULO, 8 de abril de 2010 - Os planos de previdência privada estão cada vez mais populares no Brasil. Somente em 2009, foram injetados R$ 38,8 bilhões no setor, crescimento de 21,7 % em relação a 2008. Os números estão na edição de abril da revista AméricaEconomia.

De acordo com a reportagem, os planos de investimento tipo PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) e VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre) são os preferidos das classes mais baixas, principalmente a C.

"Essas pessoas querem investir principalmente no futuro de seus filhos, já que não tiveram a oportunidade de crescer em um país com a economia estabilizada", afirma Sandro Bonfim, gerente de inteligência de mercado da BrasilPrev.

Os principais motivos deste crescimento são a estabilidade econômica do País, a superação do trauma da inflação - que facilita o planejamento a médio e longo prazo - e o aumento da expectativa de vida.

Até o início da década, o foco de quem fazia uma previdência era a aposentadoria. De acordo com os especialistas do mercado, este perfil mudou. Atualmente, os investimentos visam a gerar renda a longo prazo, como pagar a universidade ou cursos no exterior para seus descendentes ou guardar despesas médicas na velhice.

Já está em discussão, entre o governo e empresas do setor, uma proposta para lançar planos voltados à saúde e à educação, com incentivo fiscal. Os chamados PrevSaúde e PrevEducação seriam isentos da tributação que incide no imposto de renda dos rendimentos caso o investidor comprovasse os gastos nessas áreas.

(MLC - Agência IN)