Siderúrgicas reclamam do modelo de precificação do minério

SÃO PAULO, 7 de abril de 2010 - As entidades que representam as grandes siderúrgicas da Europa e da China reclamam do novo modelo de precicação do minério de ferro. E apesar da Vale ter anunciado que uma parcela expressiva de clientes aceitou as condições de precificação do minério de ferro por um modelo em que o reajuste ocorre de forma trimestral e com base no preço médio deste minério do trimestre anterior no mercado à vista, ainda existe muita polêmica no ar. A avaliação é do analista da SLW Corretora, Pedro Galdi.

Galdi lembra que a Eurofer, que representa as grandes siderúrgicas da Europa - como a ArcelorMittal e ThyssenKrupp - entrou com pedido na Comissão Europeia para investigar a formação de cartel pela Vale, BHP Billinton e Rio Tinto. Em contrapartida, a Vale pediu que esta comissão investigue as siderúrgicas do continente por prática de concorrência desleal.

Mas a briga não para por ai, já que a Associação Chinesa de Ferro e Aço (Cisa) está ameaçando parar de adquirir minério de ferro das três grandes mineradoras, até esgotar seu estoque estratégico deste minério, que hoje se situa na faixa de 70 a 75 milhões de toneladas, (representa em média um mês e meio de suas necessidades do insumo).

"Apesar de algumas siderúrgicas estarem reticentes ao modelo proposto pelas mineradoras, estas não devem conseguir derrubá-lo, já que o preço do minério de ferro no mercado à vista atingiu US$ 160/tonelada, muito acima do que a Vale indicou que está pedindo aos seus clientes, ou seja, preços de abril a junho deste ano na faixa de US$ 110/tonelada", comenta Galdi.

(Simone e Silva Bernardino - Agência IN)