Produção de veículos sobe 24% e bate recorde no 1º tri

SÃO PAULO, 7 de abril de 2010 - No primeiro trimestre de 2010 a produção de autoveículos totalizou 826,7 mil unidades, com crescimento de 24,4% em relação ao mesmo período do ano passado, quando somou 664,4 mil unidades. "Este foi o melhor trimestre da história", disse Jackson Schneider, presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

O mês de março também bateu recorde na produção (alta de 32,5%, totalizando 331 mil unidades). Segundo Schneider, o mês passado foi excepcional, mesmo com o fim do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). Porém, terá acomodação na produção a partir da segunda quinzena de abril, retomando somente em junho. O presidente reiterou ainda que sua estimativa de Produto Interno Bruto para este ano é de 5,5%, alavancado pelo aumento da renda da classe C, o que gera poder de consumo.

O segmento de licenciamentos também teve crescimento histórico no trimestre. O avanço de 17,9%, somando 788 mil unidades, "se deu principalmente pelo aumento do volume de crédito, a queda do índice de inadimplência e os juros estáveis", avaliou Schneider.

Por sua vez, o setor de exportação cresceu 58,8% nos meses de janeiro a março, totalizando US$ 2,60 bilhões, ante o mesmo trimestre de 2008. "O setor mostra recuperação, mas ainda não é suficiente se compararmos com que o que já exportamos no ano de 2005. Porém, é um sinal muito positivo, que vem sendo sustentado principalmente pela Argentina", explicou.

Após três anos de mandato, Jackson Schneider disse que o seu maior desafio nesse tempo foi a crise no final de 2008. "Esta foi sem dúvida a pior crise, porque pegou o mercado em forte ascensão, e da noite para o dia abalou o setor automotivo. Se a recuperação, com a redução do IPI, crédito e propagandas, não surgisse rapidamente, talvez não conseguiríamos reverter a situação", avaliou.

A retomada significativa do mercado é comprovada pelo dado de emprego. O número de pessoas empregadas nas indústrias do setor avançou 0,8% em março, passando de 126.791 pessoas, para 127.764 empregados. Em comparação com o mesmo mês do ano anterior, a alta foi de 4,7%, quando totalizou 122.052 pessoas. "O emprego tem mostrado crescimento desde junho do ano passado. Em algumas montadoras está até maior do que o período anterior à crise, e as previsões de avanço continuam", acrescentou.

(Niviane Magalhães - Agência IN)