Petróleo fecha em baixa com aumento das reservas americanas

Agência AFP

NOVA YORK - Os preços do petróleo caíram nesta quarta-feira em Nova York e Londres, sob a pressão de um novo aumento das reservas nos Estados Unidos, que se mantêm em níveis elevados.

No New York Mercantile Exchange (Nymex), o barril do West Texas Intermediate (designação do "light sweet crude" negociado nos Estados Unidos) para entrega em maio fechou em 85,88 dólares, baixa de 96 centavos na comparação com o fechamento de terça-feira.

No InterContinental Exchange de Londres, o barril do Brent do Mar do Norte com o mesmo vencimento teve baixa de 56 centavos, para 85,59 dólares.

O mercado foi afetado pela décima alta consecutiva dos estoques de petróleo nos Estados Unidos, afirmou Jason Schenker, da Prestige Economics.

Segundo dados semanais do Departamento de Energia americano, as reservas de petróleo aumentaram 2 milhões de barris na semana finalizada em 2 de abril, superando os 1,3 milhão de barris esperados pelos analistas do Dow Jones Newswires.

No entanto, a notícia foi atenuada por uma importante queda das reservas de gasolina, de 2,5 milhões de barris, quando os analistas esperavam apenas 1 milhão.

"Dois aumentos consecutivos (dos estoques de petróleo) é muito petróleo, mas a tendência não mudou", explicou Jason Schenker.

"Nos mantemos em níveis muito elevados", acrescentou o analista, não muito longe dos "86 a 87 dólares registrados no início da semana".

Como consequência, o mercado fez uma pausa depois de ganhar 6,84 dólares em cinco sessões até a terça-feira à noite, um aumento de mais de 8%.

"Tecnicamente, o mercado registrou um superávit de compras. Está condenado a uma correção", afirmou Tom Bentz, do BNP Paribas.

O fortalecimento do dólar ajudou a reduzir as compras no mercado de petróleo nesta quarta-feira. A divisa americana subiu frente ao euro, que continua afetado pelos persistentes temores em relação à capacidade da Grécia de refinanciar sua dívida e sair da crise orçamentária.