OCDE defende retirada gradual dos incentivos à economia

Agência AFP

AFP - O saneamento orçamentário dos países ricos deverá começar em 2011 e não este ano, informou nesta quarta-feira a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE). Na Grã-Bretanha, país que se encontra em plena campanha eleitoral, a oposição conservadora mostra-se a favor de apressar esse processo.

A organização, que reúne os 30 países mais ricos do mundo, estima em uma avaliação provisória que apesar de alguns sinais alentadores na atividade, a fragilidade do mercado de trabalho e a influência potencialmente negativa dos mercados financeiros incitam à prudência maior no que se refere ao desmantelamento das medidas de apoio às economias.

A OCDE pede, portanto, que os países apresentem programas de saneamento orçamentário no médio prazo e que estes sejam "claramente explicados". "Deverão ser lançados em 2011, ou inclusive antes em alguns países, e serão aplicados progressivamente para não comprometer a retomada nascente", diz a organização em nota.

Questionado pela agência Dow Jones sobre o caso particular da Grã Bretanha, o principal economista da OCDE, Pier Carlo Padoan, afirmou que o país "enfrenta como outros" um problema de dívida depois da crise, mas que o programa de saneamento anunciado pelo governo "parece poder conjurar a dinâmica desta dívida".