Lula critica imposições "nefastas" do Banco Mundial e FMI

Portal Terra

DA REDAÇÃO - Às vésperas de uma cúpula do Bric (grupo de emergentes formado por Brasil, Rússia, Índia e China), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou nesta quarta-feira a postura classificada como "nefasta" de organismos multilaterais, como o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial.

Em almoço em homenagem à presidente da Libéria, Ellen Johnson Sirleaf, o mandatário brasileiro enfatizou que o Brasil, que agora é credor desses organismos, não foi alçado a essa categoria para meramente integrar o grupo de nações que ratificam "dogmas obsoletos".

- É preciso que o Banco Mundial e o Fundo Monetário abandonem seus dogmas obsoletos e condicionalidades nefastas. O Brasil não se tornou credor desses organismos para que as coisas continuassem como antes - disse o presidente, defendendo ainda uma governança global democrática e equilibrada.

Na próxima semana, o governo brasileiro sediará em Brasília a 2ª Cúpula de Chefes de Estado e Governo do BRIC, ocasião em que, disse Lula, será exigido maior equilíbrio entre os países no contexto dos organismos multilaterais.

- Exigimos reformas profundas para que os países em desenvolvimento possam ter voz ativa na definição de seu futuro - disse o presidente Lula.