Ex-presidente do Fed acusa governo Bush pela crise financeira mundial

Agência AFP

WASHINGTON - O ex-presidente do Federal Reserve (Fed), Alan Greenspan, acusou o governo do ex-presidente George W. Bush de ser responsável pela crise financeira, por sua tentativa de favorecer ao máximo o acesso aos imóveis.

No período da explosão do crédito, no início da década, o "crescimento do mercado dos subprime (empréstimos de altíssimo risco) se estendeu durante muito tempo até que começou a se acelerar", informou Greenspan ante a comissão de investigação independente sobre as origens da crise.

- O impulso geral daquele governo foi o de desenvolver a propriedade imobiliária, especialmente nos grupos com rendas médias e baixas - explicou.

- A política oficial - que fixou os critérios para o Fannie Mae e Freddie Mac - foi a de aumentar consideravelmente sua participação para este tipo de empréstimo - indicou Greenspan.

Os organismos de garantia hipotecária Fannie Mae e Freddie Mac, colocados sob a tutela do Estado em 2008 para evitar sua falência, financiaram ou garantiram uma porção cada vez maior de empréstimos hipotecários, desde o começo da bolha imobiliária dos anos 2002 e 2003.

Durante este período, "nos fixamos no alcance da participação do Fannie e Freddie para atingir os objetivos da secretaria da Habitação, e as cifras são extraordinariamente altas", assinalou.

- Tão altas, que, de fato, estavam abarcando grande parte do mercado. E isso, como aprendemos em retrospectiva em setembro de 2008, foi um fator-chave para produzir a bolha - afirmou Greenspan, que rejeitou a responsabilidade do banco central em termos de política monetária.

Greenspan, de 84 anos, se aposentou em janeiro de 2006, três anos antes do fim da presidência de Bush (2001-2009).