Bernanke reitera necessidade de reduzir a dívida pública

SÃO PAULO, 7 de abril de 2010 - Os Estados Unidos devem começar a se preparar agora para os desafios colocados pelo envelhecimento da população com um plano credível para reduzir gradualmente a dívida pública crescente, afirmou nesta quarta-feira Ben Bernanke, presidente do Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano).

A despesa da saúde deverá aumentar ao longo do tempo já que a população norte-americana envelhece, colocando desafios para as finanças já tensas do país, advertiu o chefe do Fed.

Falando diretamente da Câmara do Comércio em Dallas, Bernanke disse que "a menos que nós, como nação demonstrarmos forte compromisso com a responsabilidade fiscal, a longo prazo, teremos nem estabilidade financeira nem crescimento econômico saudável".

Para combater a crise financeira, o governo dos Estados Unidos cortou impostos e aumentou os gastos ao longo dos últimos dois anos, levando a desequilíbrios orçamentais e preocupações a respeito do déficit, contra os esforços do próprio Fed para reativar a economia por meio de elevação das taxas de juro de longo prazo.

A atenção do mercado mudou a forma como a política fiscal pode ser retornada para faixa sustentável após a crise. O problema se estende a outras partes do mundo, com destaque para as dívidas soberanas da Grécia.

Bernanke disse que enquanto a economia dos Estados Unidos não crescer novamente, ela está "longe de estar fora de perigo." O chefe do Fed disse ainda que estava particularmente preocupado com a taxa de desemprego persistentemente elevada, o que espera que desça gradualmente a curto prazo.

"Um plano credível mostrando compromisso de alcançar a longo prazo a sustentabilidade fiscal, poderia levar a taxas de juros mais baixas e mais rápido crescimento no curto prazo", afirmou Bernanke, acrescentando que os Estados Unidos devem tomar decisões difíceis.

Em recentes audiências no Congresso, Bernanke alertou os legisladores para chegar a um plano credível para gradualmente diminuir a crescente dívida norte-americana ao longo do tempo, tomando agora a sua mensagem para o público em geral.

A proposta do presidente Barack Obama do orçamento de 2011 prevê déficit recorde de US $ 1,6 trilhão, ou 10,6% do produto interno bruto, o nível mais alto desde a Segunda Guerra Mundial. O governo pretende reduzir isso para 3,9% do PIB em 2014 fiscal, ainda acima dos 3,0% do PIB, nível que os economistas consideram sustentável.

"A história tem demonstrado uma e outra vez a resistência inerente e poder de recuperação da economia norte-americana", disse Bernanke.

(Redação com agências internacionais - Agência IN)