Automóveis: após recorde em março, período de acomodação

Jornal do Brasil

RIO - A média diária de venda de veículos em março bateu recorde histórico, com 15.380 veículos emplacados, 24,7% acima do verificado um ano antes, impulsionada pela correria dos consumidores interessados em aproveitar os últimos dias do desconto do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). A partir de agora, o mercado brasileiro de veículos passará por um período de acomodação em abril e maio, com média diária de vendas recuando cerca de 17% na comparação com o mês passado, afirmou quarta-feira o presidente da associação de montadoras, Anfavea.

Haverá um efeito de acomodação na segunda quinzena de abril que pode se estender até maio afirmou Jackson Schneider em sua última entrevista coletiva como presidente da Anfavea antes de ser substituído pelo presidente da Fiat para América Latina, Cledorvino Belini.

Tal movimentação é muito difícil de ser alcançada novamente afirmou Schneider, considerando que nos próximos meses a média diária de vendas poderá ficar entre 13 mil e 14 mil veículos. Já em abril, por causa da Páscoa após o recorde de março, deverá haver um nível de cerca de 12.800 unidades, afirmou o representante.

Diante do recorde de vendas de 353,7 mil veículos em março, os estoques da indústria encerraram em 18 dias, nível considerado baixo pela Anfavea, o que deve ajudar a evitar uma queda mais brusca da produção em abril. Agora a tendência é de recuperação para o nível normal de cerca de 26 dias, afirmou Schneider.

Exportações

A produção também deve receber apoio das exportações, que em março subiram 9,4% sobre fevereiro, para cerca de 58 mil unidades, compondo um salto de 83% no primeiro trimestre sobre o mesmo período de 2009.

A Argentina tem recuperado muito fortemente (as compras de veículos do Brasil) e o México começou a se recuperar também. Outros países estão voltando e a economia americana está mostrando um retorno afirmou.

O Brasil produziu 331 mil veículos em março, recorde histórico e volume 32,5% maior que o fabricado em fevereiro e 20,3% acima do registrado um ano antes.

Segundo Schneider, a expectativa de fim do desconto do IPI colaborou para criar efeito de alta demanda no mês, mas também a confiança do consumidor está muito forte e há uma expectativa muito positiva para o desempenho do setor este ano, que deve marcar o quarto recorde consecutivo de vendas. A previsão da Anfavea é de alta de 8,2% nos licenciamentos de veículos em 2010, para 3,4 milhões.

O resultado do setor no início deste ano também foi positivo em relação à inadimplência de financiamentos, que recuou para 4,2% em fevereiro.

GM quer pagar Tesouro americano e voltar a lucrar

A General Motors teve um prejuízo de US$ 4,3 bilhões desde que iniciou o processo de concordada, em julho, até o fim de 2009, informou quarta-feira a companhia, acrescentando que é possível voltar a ter lucros em 2010. O prejuízo no quarto trimestre foi de US$ 3,4 bilhões. A empresa também disse estar comprometida em pagar o que deve ao Tesouro dos Estados Unidos e à Export Development Canada até, no máximo, em junho.

No novo processo de recuperação, a GM se prepara para lançar uma oferta pública inicial que reduzirá a fatia majoritária do governo dos Estados Unidos na montadora. A data da oferta, no entanto, ainda não estaria definida.

Completar o novo início da contabilidade é um passo muito importante no processo disse o vice-presidente financeiro da GM, Chris Liddell, em comunicado.

A GM informou ainda que a oferta permitirá à empresa investir em projetos e vendas de veículos, atrair as melhores pessoas e ganhar acesso aos mercados de capitais.