Governo prevê a construção de 54 hidrelétricas no PAC 2

Laryssa Borges e Luciana Cobucci, Portal Terra

BRASÍLIA - A dois dias de deixar o governo federal para se dedicar à campanha à Presidência da República, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT), disse que a partir de 2011 deverão ser viabilizadas 54 usinas hidrelétricas a serem construídas com recursos da segunda fase do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2). Destas, 10 serão do tipo plataforma (similar às plataformas de petróleo) e 44 serão convencionais. Ao todo as usinas terão capacidade de geração de 47,8 mil megawatts de energia.

O Estado do Pará deverá ter a maior quantidade de novas hidrelétricas conforme previsão do Comitê Gestor do PAC. O Estado, governado pela governadora Ana Julia Carepa (PT), por exemplo, terá em seu território as usinas plataforma de Jatobá, Jamanxim, Cachoeira dos Patos, Jardim do Ouro, Cachoeira do Caí, Chacorão e São Luiz do Tapajós.

Com investimentos estimados de R$ 116,2 bilhões, sendo R$ 93,3 bilhões projetados para serem investidos até 2014, a chefe da Casa Civil declarou que a preferência por fortes empreendimentos na área de energia tem por objetivo "deixar definitivamente no passado o fantasma do racionamento".

Ao comparar a gestões anteriores, Dilma garantiu que "energia não vai faltar" daqui em diante e disse que, no passado, o "Estado era omisso". "(Agora) o Estado voltou a se planejar. O Estado voltou a ter rumo".

A rubrica Energia - uma das seis do PAC 2 - contempla ainda os setores de petróleo e gás; indústria naval; combustíveis renováveis; eficiência energética e pesquisa mineral, tem investimentos previstos de R$ 465,5 bilhões (2011-2014) e R$ 627,1 bilhões (pós-2014).

Dos R$ 879,2 bilhões previstos para a área de petróleo e gás, R$ 711,4 bilhões irão para exploração e produção; R$ 130,2 bilhões para refino e petroquímica; R$ 11,2 bilhões serão investidos para produção de fertilizantes; R$ 17,1 bilhões em navios petroleiros e R$ 9,3 bilhões em infraestrutura de transporte de gás natural.

No total, a segunda edição do PAC prevê investimentos de R$ 958,9 bilhões entre 2011 e 2014. Para os quatro anos seguintes, a estimativa de investimentos é de R$ 631,6 bilhões.