Fiesp defende queda do ICMS de indústrias têxteis para 7%

SÃO PAULO, 29 de março de 2010 - A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) pleiteou a redução da base de cálculo do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS), de 12% para 7% nas saídas das indústrias têxteis e de confecção.

Nesta segunda-feira, o governador José Serra anunciará o patamar de redução e a abrangência do novo decreto para o setor. Paulo Skaf, presidente da Fiesp, enfatiza a importância de se defender a competitividade em função da concorrência acirrada e da consequente migração de empresas para outros Estados, ressaltando que o documento comprova a maturidade do setor. Skaf solicitou que o benefício seja estendido também à ponta do varejo.

Para a Fiesp, a medida diminui a disparidade com os outros Estados que praticam agressivos incentivos fiscais.

(Redação - Agência IN)