Lula encontra presidente chileno depois da Páscoa

SÃO PAULO, 26 de março de 2010 - Independentemente das divergências ideológicas, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem encontro marcado para a semana seguinte à Páscoa com o presidente do Chile, Sebastián Piñera, em Brasília. Na pauta, estarão assuntos como economia, política e esporte, além do apoio para a reconstrução do Chile, parcialmente destruído em decorrência dos tremores de terra e tsunamis que atingiram o país desde o final de fevereiro.

Primeiro presidente de centro-direita do Chile, depois de 20 anos da esquerda no poder, ao ser eleito, Piñera disse que daria prioridade às relações bilaterais com o Brasil e a Argentina. Ele cumpre agora a promessa ao viajar, primeiro, para Buenos Aires, no dia 9 de abril, e, em seguida, para Brasília. Antes, ele conversou com o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim.

Antes do primeiro turno das eleições chilenas, Piñera esteve com Lula. Também tem contatos permanentes com integrantes do DEM, cujo principal interlocutor é o ex-prefeito do Rio de Janeiro Cesar Maia, que é casado com uma chilena. A eleição do presidente do Chile foi acompanhada atentamente pela cúpula do Democratas por acreditar que representava uma nova etapa histórica.

Empresário bem-sucedido e um dos homens mais ricos do Chile, Piñera defendeu a aproximação com os países que foram o Bric - Brasil, Russia, Índia e China. "Já aprofundamos vários diálogos e estamos tratando de dar continuidade a isso. São grandes países e grandes economias, queremos muito estreitar relações", disse ele, no começo do mês, em Santiago.

Segundo o presidente do Chile, suas metas são reduzir a pobreza no país até 2014, aperfeiçoar os sistemas públicos de saúde e educação, além de combater a violência e a delinquência. Com o discurso de campanha, ele reafirmou que seu objetivo é implementar um governo de mudança e renovação. As informações são da Agência Brasil.

(Redação - Agência IN)