IPCA-15 dentro da esperado reduz prêmios dos DIs

SÃO PAULO, 23 de março de 2010 - As atenções dos agentes financeiros seguem voltadas para o resultado do Índice de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) que registrou variação de 0,55% em março deste ano, ante 0,94% no mês anterior. O dado veio em linha com a mediana das expectativas do mercado e isso contribuiu para a redução dos prêmios dos contratos de Depósito Interfinanceiro (DI) negociados na BM&FBovespa. Há pouco, o DI com vencimento em janeiro de 2011 projetava taxa anual de 10,27%, ante 10,26% do ajuste anterior. O DI de janeiro de 2011 apontava juro de 11,62%, ante 11,64% da véspera.

Inês Filipa, economista da ICap Brasil avalia que o IPC-15 menos pressionado, diminui a expectativa de uma alta mais forte dos juros na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) agendada para o dia 27 e 28 de abril. Há no mercado quem estime aumento dos juros em 0,75 ponto percentual, porém, a economista mantém o cenário de ajuste da taxa Selic em 0,50 ponto devido à falta de consenso dos membros do Comitê na última reunião. "A Ata desta reunião será divulgada nesta quinta-feira e poderá reforçar esta avaliação ou deixar em aberto a possibilidade de manutenção dos juros caso o IPCA de março surpreenda positivamente e a prévia de abril da inflação venha bem comportada", ressalta.

Ainda na agenda doméstica, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) informou que o Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) de 22 de março registrou variação de 0,87%, 0,06 ponto percentual abaixo da última apuração. De acordo com a pesquisa as principais contribuições para a desaceleração do índice partiram dos grupos Transportes (de 0,79% para 0,31%) e Vestuário (de 0,07% para -0,37%).

(Maria de Lourdes Chagas - Agência IN)