Investidores desmontam posições em dólar e moeda cai mais de 1%

SÃO PAULO, 23 de março de 2010 - Os investidores aproveitaram o dia de agenda tranquila para refazer posições em ativos de maior risco, garantindo um pregão de valorização do câmbio doméstico. No fim do pregão, o dólar recuou 1,11%, vendido a R$ 1,78.

De acordo com o gerente financeiro da Hencorp Commcor, Rodrigo Bautista, indicadores favoráveis nos Estados Unidos e Europa e o forte fluxo de recursos em direção ao país influenciaram no câmbio. Neste ano, as empresas brasileiras já captaram US$ 6,5 bilhões com a emissão de bônus no mercado externo, fora a operação de US$ 1 bilhão do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Somente em março, as captações do Bradesco, Vale, Banco Espírito Santo e Daycoval somam US$ 2,6 bilhões e novas operações devem chegar ao mercado nos próximos dias. "Ainda existem mais de US$ 2 bilhões em bônus vencendo até abril e a tendência é de que outras empresas acessem o mercado internacional para rolagem de dívida", comenta um operador.

Segundo especialistas, a expectativa é de que as companhias brasileiras encontrem o caminho livre devido à forte demanda de investidores estrangeiros por títulos nacionais. Além disso, há perspectiva de que o Tesouro Nacional também deve emitir títulos soberanos lá fora.

Na agenda econômica, os dados de atividade dos EUA trouxe ânimo aos mercados. A atividade industrial de Richmond se fortaleceu em março, marcando 6 pontos frente os 2 registrados em fevereiro. Na Europa, a confiança do empresariado da França registrou alta superior a esperada para este mês.

Porém, a volatilidade tende a prevalecer nos mercado nos próximos dias em meio à necessidade de financiamento da Grécia, sem um consenso da União Europeia sobre o socorro ao governo de Atenas.

(Simone e Silva Bernardino - Agência IN)