Indicadores dos EUA animam bolsas europeias

SÃO PAULO, 23 de março de 2010 - A divulgação de indicadores positivos da economia norte-americana e a expectativa quanto à cúpula da União Europeia fizeram com que os principais índices acionários do velho continente fechassem esta terça-feira em alta.

Ao final do pregão, o índice FTSE-100, de Londres, avançou 0,52%, aos 5.673 pontos, o DAX, de Frankfurt, teve alta de 0,50%, aos 6.017 pontos e o CAC-40, de Paris, subiu 0,63%, aos 3.952 pontos.

As vendas de imóveis usados nos Estados Unidos tiveram queda de 0,6% em fevereiro deste ano, para 5,02 milhões de unidades, ante 5,05 milhões de casas negociadas em janeiro, de acordo com a Associação de Corretores Imobiliários (NAR, na sigla em inglês). O dado veio melhor do que o esperado pelo mercado (-1%).

Para Roberto Alem, economista da M2 Investimentos, os dados norte-americanos animaram as bolsas europeias. "A economia dos Estados Unidos vem apresentando dados melhores do que na época da crise. Pelo menos na sessão de hoje foi o acontecimento que movimentou a Europa", explicou.

Por outro lado, o mercado do velho continente também voltou as atenções para a reunião da cúpula da União Europeia, que acontece quinta e sexta-feira (25 e 26). Apesar do posicionamento da Alemanha de que a crise da Grécia não será discutida, para o mercado, o encontro poderá trazer soluções para o país grego.

"O mercado não gosta de dúvidas, o ideal é que a própria União Europeia ajude a Grécia. Esta demora deixa expectativa e gera clima de instabilidade nos negócios", comentou Alem.

O único indicador relevante do dia veio do Reino Unido e apontou para aumento no Índice de Preços ao Consumidor (CPI, na sigla em inglês) que registrou taxa anual de 3% em fevereiro deste ano, ante 3,5% em janeiro, segundo informações divulgadas hoje pela Agência de Estatísticas da região, National Statistics.

(Humberto Domiciano - Agência IN)