Mercados iniciam a semana sob tensão e dólar sobe

SÃO PAULO, 22 de março de 2010 - Os mercados mundiais iniciam a semana sob tensão, com os investidores repercutindo o alerta do Fundo Monetário Internacional (FMI) sobre o quadro fiscal nas economias avançadas. No fim da primeira etapa, o dólar comercial avançou 0,11%, a R$ 1,803 na venda.

De acordo com o Fundo, os desafios são enormes e o elevado endividamento dos governos deve reduzir o ritmo de crescimento. A notícia influenciou negativamente nessa manhã, com algumas bolsas em queda, enquanto o euro e libra perdiam do dólar.

Somando ao cenário, a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, voltou alertar os investidores para que não esperem que a reunião da União Européia, essa semana, resulte num pacote de salvamento à Grécia. Ela defende que a ajuda venha do FMI e ganha apoio de outros países como Holanda, Finlândia, Reino Unido e Suécia. O grande opositor é a França. O assunto segue no foco já que George Papandreou, primeiro-ministro da Grécia, disse que vai ao FMI se a União Européia não ajudar.

O impasse entre a China e EUA na política cambial também refletem por aqui, já que crescem as pressões entre vários países para uma valorização do yuan. A China alertou os Estados Unidos de que politizar a questão do valor do Yuan e impor sanções comerciais só irá elevar o protecionismo e ameaçar a recuperação da economia global. Além disso, após a Índia elevar a taxa de juros, o mesmo movimento de aperto monetário também é esperado para a China e para outras economias emergentes.

(Simone e Silva Bernardino - Agência IN)