Notícias externas impactam bolsas mundiais

SÃO PAULO, 19 de março de 2010 - O pessimismo tomou conta dos investidores e as principais bolsas mundiais encerraram sem definir tendência. Notícias externas como o futuro da Grécia, o aumento dos juros na Índia e o vencimento de quatro importantes contratos de opções nos Estados Unidos, pesaram nas praças acionárias.

Diante disso, as bolsas norte-americanas fecharam em queda. Hoje aconteceu o vencimento simultâneo de contratos de índices e futuros de ações e opções no país. Diante de agenda vazia, Wall Street operou volátil durante o pregão. Em Nova York, o índice Dow Jones Industrial Average recuou 0,35%, aos 10.741 pontos, o S&P 500, caiu 0,51%, aos 1.159 pontos e na bolsa eletrônica, o índice composto Nasdaq teve retração de 0,71%, marcando 2.374 pontos.

Já na Europa, os índices acionários europeus terminaram em direções opostas. O velho continente acompanhou hoje que o saldo negativo em conta corrente da Grécia aumentou ? 327 milhões ou 9,7% em janeiro de 2010, ante o mês anterior. Ao final do pregão, o índice FTSE-100, de Londres, subiu 0,13%, aos 5.650 pontos. Por outro lado o DAX, de Frankfurt, caiu 0,50%, aos 5.982 pontos e o CAC-40, de Paris, recuou 0,32%, aos 3.925 pontos.

Além disso, as bolsas europeias foram influenciadas pela decisão da Índia. O banco central indiano surpreendeu o mercado e elevou a taxa de juros para 3,5% e a taxa que empresta aos bancos para 5,0%. Segundo analistas, isto mostra que os países emergentes terão que antecipar o aperto monetário.

Na Argentina, o índice Merval, da bolsa de valores de Buenos Aires fechou com valorização de 0,35%, aos 2.381 pontos.

Por aqui, o Ibovespa acompanhou o ritmo de Wall Street e fechou em baixa de 1,25%, aos 68.828 pontos. O giro financeiro da bolsa ficou em R$ 6,44 bilhões. As notícias externas e a desvalorização das blue chips Vale e Petrobras intensificaram a perda.

Na renda fixa, as projeções de juros embutidas nos Certificados de Depósito Interfinanceiro (CDI) fecharam em alta. O DI com vencimento em abril deste ano apontou taxa anual de 8,63%. No câmbio, a moeda norte-americana finalizou com ganhos, vendida a R$ 1,80.

E nas commodities, o preço do barril do petróleo avançou no mercado internacional, diante da valorização do dólar frente ao euro. O preço do barril de petróleo do tipo WTI, com vencimento em abril, teve retração de 1,9%, cotado a US$ 80,65 na Bolsa de Mercadorias de Nova York (NYMEX, sigla em inglês). E o barril do tipo Brent, com vencimento em maio, desvalorizou 2,1%, para US$ 79,78 no ICE Exchange de Londres.

(Redação - Agência IN)