Dólar acumula valorização de 2,04% na semana e vai a R$ 1,80

SÃO PAULO, 19 de março de 2010 - O dólar chega ao fim da semana acumulando valorização de 2,04% frente ao real, pressionado por alguns fatores como repercussão dos problemas gregos, possibilidade de bolha na China e do Federal Reserve ajustar a taxa de redesconto, além da frustação com o resultado da oferta pública inicial de ações da OSX e manutenção da taxa Selic.

Ao longo da semana, a moeda norte-americana avançou de R$ 1,76 a R$ 1,80, acompanhando o enfraquecimento do euro, que voltou a ser prejudicado pelas discussões a respeito da solução para a situação fiscal precária da Grécia.

"Mas apesar da frustração com a operação da OSX, os operadores se mostram confiantes com fluxo de recursos para o País. Afinal, não faltam notícias sobre novas captações", comenta um operador. Hoje, comenta-se pelo mercado a entrada de cerca de US$ 400 milhões de operações com empresas de Eike Batista.

Na visão do economista da NGO corretora, Sidnei Nehme, os bancos que operam em câmbio devem continuar com suas "posições vendidas" - dia 12 totalizavam quase US$ 1 bilhão - como conseqüencia de uma atuação do Banco Central indutora para este posicionamento através dos seus leilões de compra diários.

"Diante deste quadro que os bancos têm elevado o preço do dólar, através de um estupendo giro que atingiu US$ 8 bilhões no dia seguinte da decisão do Copom de manter a taxa de juro, e aguardar que o BC, com suas intervenções diárias com os leilões, confirme a disposição de continuar comprando e elevando as posições "vendidas" dos mesmos, porém numa taxa cambial mais elevada, que lhes permita margem para apreciar o real até algo como R$ 1,75 e R$ 1,76 posteriormente, assegurando assim o alcance de variação positiva quando cobrirem suas posições "vendidas", observa a Nehme.

(Simone e Silva Bernardino - Agência IN)