Oito mortos e vinte desaparecidos na ilha de Robinson Crusoé

SÃO PAULO, 3 de março de 2010 - Oito pessoas morreram (sendo 5 crianças) e vinte são consideradas desaparecidas, após a sequência de ondas gigantes que atingiu no sábado de manhã a ilha de Robinson Crusoé, no Pacífico, gerada pelo terremoto do Chile, segundo dois arqueólogos franceses que estavam no local.

Os dois arqueólogos, Charles Pinelli e Christian Peschang, foram contatados em Santiago, de onde retornaram de avião para Paris.

"A metade da única cidade da ilha, San Juan Bautista que possui cerca de 700 moradores, foi arrasada pela tsunami", indicou.

O registro anterior oficial, indicado pelas autoridades chilenas no domingo, era de 5 mortos e onze desaparecidos.

(Redação com agências internacionais - Agência IN)