Dólar desacelera alta após pesquisa ADP nos EUA

SÃO PAULO, 3 de março de 2010 - Após cair nas últimas três sessões, o dólar voltou a subir nesta quarta-feira em meio a agenda econômica recheada de indicadores nos Estados Unidos, Europa e Ásia, além do anúncio de medidas mais radicais na reforma fiscal grega.

Pela manhã, a moeda norte-americana chegou a ultrapassar R$ 1,79, mas desacelerou o ritmo após divulgação da pesquisa ADP Employment. Há pouco, o dólar subia 0,11%, vendido a R$ 1,785.

No velho continente, as vendas no varejo da zona do euro e na União Européia recuaram 0,3% em janeiro na comparação mensal. Ainda por lá, os investidores acompanham a adoção de medidas mais austeras na Grécia. O governo do país prevê que as ações somem um total de ? 4,8 bilhões, a serem divididos igualmente entre redução de gastos e aumento de impostos.

Segundo especialistas, com a iniciativa, o governo de Atenas pretende ganhar credibilidade para a emissão de bônus que ajudará no gerenciamento da dívida do país e abrir caminho para receber a ajuda da UE, que pode chegar a ? 30 bilhões.

Nos Estados Unidos, o mercado de trabalho privado registrou corte de 20 mil postos de trabalho em fevereiro deste ano, de acordo com a pesquisa ADP, resultado em linha com as expectativas. Porém, o dado do mês anterior foi revisado de -22 mil postos para -60 mil, repetindo pelo 24º mês seguido variação negativa.

Na visão de operadores, o dado mostra que o pior da crise financeira já foi absorvida pelo mercado de trabalho, porém novas oportunidades de emprego segue ainda limitado devido à fragilidade da economia norte-americana. Em Wall Street, os índices futuros reverteram o viés de baixa e passam a operar perto da estabilidade após a divulgação do indicador (considerado uma prévia do payroll) com os investidores aguardando a pesquisa ISM e o Livro Bege.

(Simone e Silva Bernardino - Agência IN)