Grécia pauta os negócios e Ibovespa encerra com ganhos

SÃO PAULO, 2 de março de 2010 - Em meio a uma agenda vazia de indicadores e expectativas em relação a um pacote de ajuda concreta à Grécia, o Ibovespa seguiu o clima de otimismo externo durante o dia e encerrou o pregão com valorização de 0,82%, aos 67.779 pontos. O giro financeiro da bolsa ficou em R$ 6,68 bilhões.

"Após a volatilidade que o mercado acionário brasileiro apresentou no mês passado, os investidores acabaram ficando mais ávidos para comprar títulos de maior risco", disse Kelly Trentin, analista da Corretora Spinelli.

Hoje, o mercado seguiu confiante de que em pouco tempo a Grécia irá receber uma ajuda mais concreta da União Europeia. Essa perspectiva foi reforçada pela visita do comissário europeu Olli Rehn à Grécia para discutir a situação econômica e financeira do país. "A diminuição da onda de pessimismo em relação ao país, animou os investidores", completou Trentin.

Por aqui, o movimento foi influenciado também pelo desempenho das blue chips Vale (PNA) e Petrobras (PN). As ações da mineradora terminaram com ganhos de 1,88%, negociada a R$ 35,12 e da petrolífera com acréscimo de 0,54%, cotada a R$ 45,49. "A Vale teve desempenho fraco no ano passado. Talvez agora os papeis da mineradora deverão ganhar força", complementou Trentin.

Outra ação que merece destaque é da Fibria (ON), que fechou como a maior alta do pregão (5,39%). Para a analistas, o terremoto no Chile trouxe expectativa que a oferta de celulose se reduza.

No âmbito financeiro, o lucro líquido do Grupo Itaúsa (incluindo Itaú Unibanco, Duratex, Itautec e Elekeiroz) disparou 116% no ano de 2009, atingindo R$ 11,742 bilhões em comparação com o ano de 2008, quando os ganhos foram de R$ 5,431 bilhões. No final da sessão, os papeis do grupo (ON) tiveram valorização de 0,95%.

No mesmo sentido, as ações do grupo Pão de Açúcar (PNA) encerraram com acréscimo de 2,27%. A varejista anunciou hoje lucro líquido de R$ 193,9 milhões (incluindo Ponto Frio) no quarto trimestre de 2009, enquanto que sem o Ponto Frio ganhou R$ 161 milhões. No mesmo período de 2008, a companhia teve lucro de R$ 108,9 milhões.

(Niviane Magalhães - Agência IN)