Inflação preocupa e mercado se divide em relação ao rumo da Selic

SÃO PAULO, 1 de março de 2010 - Mais uma vez o boletim Focus revelou elevação das estimativas do mercado para a inflação a ser registrada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) neste ano e no próximo, dado esse que divide os agentes em relação ao rumo da Selic, fixada em 8,75% ao ano.

No final dos negócios os prêmios dos contratos de Depósito Interfinanceiro (DI) negociados na BM&FBovespa fecharam em queda na maioria dos vencimentos. O DI com vencimento em janeiro de 2011 fechou com taxa anual de 10,46% ante 10,48% do ajuste anterior. O DI de janeiro de 2013 projetou juro de 11,97%, contra 12,06% do ajuste de sexta-feira.

Segundo o boletim Focus, do Banco Central (BC), a projeção da inflação medida pelo IPCA passou de 4,86% para 4,91%. Para 2011, a estimativa, que era mantida há 86 semanas, também subiu, de 4,50% para 4,53%.

Ainda no campo de inflação, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulgou o fechamento de fevereiro do Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S). O indicador mostrou relevante desaceleração ante a semana anterior passando de 0,84% para 0,68%, resultado abaixo da mediana das expectativas, destaque para a deflação observada no grupo educação e menor alta sazonal dos transportes.

Diante de uma estimativa de inflação mais pressionada os agentes financeiros voltam a estimar aumento nos juros na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom). No entanto, o mercado segue dividido entre as reuniões de março e abril para a data de início do ciclo de aperto monetário. Atualmente, a taxa Selic está em 8,75% ao ano.

A equipe econômica do banco Fibra mantém o cenário de alta dos juros em abril, a despeito da decisão sobre os compulsórios, que sinaliza um BC mais confortável com a situação de liquidez dos bancos e, talvez, mais preocupado com o ritmo de recuperação da atividade econômica.

Os próximos indicadores de inflação devem ganhar importância nas próximas semanas. Merece destaque o comportamento dos alimentos, que vêm surpreendendo para cima e representa risco importante à inflação deste ano. Ainda nesta semana será divulgado o resultado do IPCA de fevereiro. A equipe econômica da Gradual Investimentos projeta inflação de 0,82% ao mês.

A Gradual Investimentos comentou ainda que o presidente do BC, Henrique Meirelles, vem anunciando ao mercado que vai agir com independência e tomará medidas mesmo que impopulares apesar do ano eleitoral.

(Maria de Lourdes Chagas - Agência IN)