Expectativa para o IPCA sobe novamente e DIs se ajustam

SÃO PAULO, 1 de março de 2010 - O boletim Focus divulgado nesta manhã voltou a apresentar alta nas projeções para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) no fim de 2010, ao passar de 4,86%, para 4,91%, assim como para 2011, com a taxa atingindo 4,53%. Diante de uma inflação mais pressionada os agentes financeiros voltam a estimar aumento nos juros na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) deste mês.

Na BM&FBovespa as projeções de juros embutidas nos contratos de Depósito Interfinanceiro (DI) sobem no curto prazo e recuam nos vencimentos mais longos. O DI com vencimento em janeiro de 2011 projeta taxa anual de 10,50%, ante 10,48% do ajuste anterior.

A equipe econômica da Gradual Investimentos comenta que o presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, vem anunciando ao mercado que vai agir com independência e tomará medidas mesmo que impopulares apesar do ano eleitoral. Esses profissionais estimam avanço na taxa Selic, fixada em 8,75% ao ano, na reunião do Copom deste mês. O aperto monetário total deverá ser de 250 pontos base, fazendo a taxa fechar em 11,25% no fim de 2010.

Ainda segundo a Gradual Investimentos, um dos fatores que deve conspirar em favor de uma inflação mais controlada é o retorno do dólar à patamares mais baixos. A política monetária nos EUA deve permanecer baixa durante ainda um bom tempo uma vez que a economia por lá não decola e isto conspira para o enfraquecimento da moeda norte-americana. Somente o caso grego ainda pressiona o dólar e uma vez resolvida a questão por lá devemos verificar novamente uma pressão baixista na moeda frente as outras do mundo.

Ainda nesta semana será divulgado do resultado do IPCA de fevereiro. A equipe econômica da Gradual Investimentos projeta inflação de 0,82% ao mês.

(Maria de Lourdes Chagas - Agência IN)