Consumo de energia elétrica segue em alta no mês do Carnaval

Jornal do Brasil

BRASÍLIA - A alta do consumo de energia em fevereiro, de 11,8% na comparação anual, para 58.436 megawatts médios, indica que a economia continua sua trajetória de recuperação pós-crise, destacou segunda-feira o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), responsável pela medição. Na comparação com janeiro de 2010, houve crescimento de 4,9%. O aumento do consumo vem sendo observado desde o segundo semestre de 2009, acrescentou o ONS.

O aumento da temperatura e o Carnaval também foram apontados como fatores que influenciaram na alta, além da entrada de mais 400 MW médios com a interligação do sistema isolado do Acre e Rondônia ao Sistema Interligado Nacional (SIN). Para atender ao aumento da demanda, o ONS determinou que algumas usinas térmicas entrassem em operação, o que deve encarecer a conta de luz do brasileiro ao longo do ano.

O destaque foi o crescimento de carga usada pelo sistema Sudeste/Centro-Oeste, que teve aumento acima da média do mercado, com variação positiva de 12,4% sobre fevereiro de 2009, região de grande concentração de empresas e indústrias.

No Sul, o crescimento foi de 11,7% contra igual período de 2009, também puxado pela melhora da atividade econômica. No Nordeste, o avanço foi de 11% e, no Norte, de 7,8%, na comparação anual.

Pequenas centrais hidrelétricas

A Renova Energia, empresa que produz energia elétrica a partir de pequenas centrais hidrelétricas (PCH) e de usinas eólicas, vai fazer uma oferta de units que pode levantar até R$ 867,9 milhões. Uma oferta inicial de 25,72 milhões de units representativas de uma ação ordinária e duas preferenciais, com preço entre R$ 19 e R$ 25, com isso, deve levantar, incialmente, R$ 642,9 milhões.

O início do período de reserva ocorre na sexta-feira, dia 8, e se encerra no dia 16 deste mês. A fixação do preço das units está marcada para 17 de março, e o início dos negócios no nível 2 da BMF&Bovespa para 19 de março.

Investidores de varejo terão direito a percentual entre 10% e 20% do total de units do lote inicial. O investimento varia de R$ 3 mil a R$ 300 mil. Os coordenadores da oferta incluem os bancos Santander e Bank of America Merrill Lynch.

Com agências