Apesar de dados desfavoráveis, bolsas dos EUA fecham em alta

SÃO PAULO, 1 de março de 2010 - Mesmo com indicadores econômicos norte-americanos abaixo do esperado pelo mercado, os principais índices acionários de Wall Street encerraram a primeira sessão do mês em alta. O movimento de recuperação das principais praças acionárias mundiais influenciou o desempenho.

Em Nova York, o índice Dow Jones Industrial Average teve valorização de 0,76%, aos 10.403 pontos. O S&P 500 cresceu 1,02%, aos 1.115 pontos. E na bolsa eletrônica, o índice composto Nasdaq ganhou 1,58%, para 2.273 pontos.

De acordo com analistas, os investidores reagiram com otimismo à informação de que a ministra de economia da França comentou que a ajuda financeira para a Grécia estava sendo estudada e que recursos da ordem de ? 30 bilhões devem equacionar a situação daquele país no curto prazo. Embora a informação não tenha sido confirmada levou alívio aos mercados.

Nos Estados Unidos, os dados não agradaram os agentes financeiros. Os gastos com construção caíram 1,2% em dezembro de 2009, ante o mês anterior, com taxa de US$ 902,5 bilhões.

Enquanto isso, a renda dos consumidores norte-americanos avançou 0,1% (ou US$ 11,4 bilhões) em janeiro contra o mês anterior. O resultado veio abaixo dos 0,4% previstos pelos analistas. Já o índice que mede os gastos dos consumidores (PCE, na sigla em inglês) teve acréscimo de 0,5% (ou US$ 52,4 bilhões) no mesmo período.

E a atividade nas fábricas dos Estados Unidos (ISM Index, na sigla em inglês) expandiu (para 56,5 pontos) em fevereiro pelo sétimo mês consecutivo, no entanto, registrou valor menor que o verificado no mês de janeiro.

(Redação - Agência IN)