BID aprova US$ 3 bilhões em operações para o Brasil

SÃO PAULO, 22 de fevereiro de 2010 - O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) no Brasil atingiu números inéditos nos últimos dois anos, segundo o Resumo Executivo da Atuação do BID no Brasil em 2009: Resultados e Perspectivas para 2010. De acordo com o estudo, em 2009 foram aprovadas 31 operações que somaram US$ 3 bilhões. Estas iniciativas passaram a compor uma carteira em execução de US$ 7,6 bilhões distribuídos em 74 operações.

A elevação dos índices da carteira em execução e das aprovações foi acompanhada do nível de desembolsos, que atingiu US$ 2,4 bilhões em 2009.

O crescimento da atuação do BID no País apresenta um novo perfil de carteira, com crescente número de operações dedicadas a Estados e Municípios, assim como ao Setor Privado. Este movimento é refletido principalmente em operações compreendidas por programas estabelecidos junto ao Banco, como o PROCIDADES, na área de desenvolvimento urbano integrado; o PROFISCO, para o aprimoramento da gestão fiscal pública; e o PRODETUR, para o desenvolvimento do turismo.

Acompanhando a crescente demanda em virtude do próprio fortalecimento econômico do País, uma das áreas que vem apresentando maior espaço na carteira do Banco corresponde à Competitividade e às operações direcionadas a Micro, Pequenas e Médias Empresas (MPEs) com US$ 4,9 bilhões em execução, seguindo-se de Infraestrutura, com US$ 2,4 bilhões, e Condições de vida nas Cidades, com US$ 1,48 bilhão.

Operações como a Linha de Crédito Condicional acordada com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para o apoio a MPEs, no valor de US$ 3 bilhões, e o mecanismo de crédito PROCIDADES, com 12 operações já aprovadas, no valor US$ 305 milhões, entre outras iniciativas, são as principais responsáveis por este índice:

Os desafios e perspectivas de atuação do Banco no ano de 2010 buscam atender a um novo contexto de País. Iniciativas voltadas para a Copa 2014 e os Jogos Olímpicos em 2016 estão na agenda.

As operações a serem aprovadas em 2010 somam US$ 2,6 bilhões divididos em 43 novas operações. Nesse contexto estão criadas as condições para o Banco ampliar ainda mais sua atividade no financiamento de operações no Brasil.

(Redação - Agência IN)