Mantega prevê crescimento de 5,2% do PIB neste ano

Jornal do Brasil

BRASÍLIA - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, previu ontem que a economia deve apresentar 5,2% de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2010, durante sua apresentação na reunião ministerial com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O ministro e o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, fizeram uma avaliação da conjuntura econômica para este ano.

Mantega destacou que a economia está retomando o ritmo de crescimento anterior à crise global de forma sustentável e com altas taxas de investimento . Ele mencionou que o desempenho econômico será melhor em 2010, com mais emprego, mais renda e mais consumo .

A formação bruta de capital fixo, uma medida dos investimentos, deve crescer 16,1% em 2010, enquanto o consumo das famílias deve se expandir 6,1%, segundo a apresentação intitulada 2010 - Crescimento Sustentável .

A previsão de crescimento da economia do ministro é levemente superior à estimativa aprovada pelo Congresso no Orçamento Geral da União (OGU), de 5%. Segundo Mantega, a demanda interna deve aumentar cerca de 7,3% neste ano e, assim, impulsionar a produção industrial a subir até 7,1% neste ano, além de alta de 6% da massa salarial.

Mantega prevê também que devem ser gerados cerca de 1,6 milhão novos empregos formais neste ano. Anteontem, contudo, o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, manteve a projeção de abertura de 2 milhões de vagas para 2010.

PAC 2

O ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, disse que o governo quer lançar o chamado PAC 2 até o fim de março. Segundo o ministro, isso é necessário para que possam ser feitas alterações no Plano Plurianual (PPA) e a inclusão das obras na peça orçamentária de 2011.

O PAC 2 foi um dos temas da reunião ministerial ontem na Granja do Torto. Segundo Padilha, serão incluídos no programa tanto projetos já contratados na atual versão do PAC, cujas obras serão tocadas nos próximos anos, quanto extensões de projetos que já estão no PAC. Ele deu como exemplo a ferrovia Norte-Sul. Na versão original do PAC, está prevista a execução da linha férrea do Maranhão até Anápolis (GO). Mas como o projeto prevê chegar até Estrela d'Oeste, em São Paulo, no PAC 2 estaria prevista a construção do trecho de Anápolis à Estrela d'Oeste.

Padilha destacou que, entre os novos investimentos, estarão projetos urbanos integrados , principalmente em bairros com condições precárias de habitação e saneamento. O programa terá obras de acesso à água, de tratamento de lixo, aterros sanitários e a construção de equipamentos públicos sociais nesses bairros, voltados para saúde, educação e esportes , disse.

Padilha informou que o PAC 2 terá projetos para pequenos municípios, com prioridade para os de rápida execução. Ele citou áreas como habitação e pavimentação, na linha das obras do programa habitacional Minha Casa, Minha Vida.

O PAC 2 terá ainda uma linha de crédito específica para a expansão da banda larga no país. Padilha disse que a ideia é garantir a toda a população acesso à internet em alta velocidade, investindo em equipamentos e infraestrutura. Os valores serão definidos depois que a área econômica fizer uma análise de todos projetos incluídos.

Com agências