Petrobras pesquisará uso de biocombustíveis na Antártida

SÃO PAULO, 19 de janeiro de 2010 - A Petrobras assinou, nesta terça-feira, acordo de cooperação com a Marinha do Brasil, para melhorias na Estação Antártica Comandante Ferraz (EACF). O acordo, com duração de quatro anos, prevê a implantação de um novo sistema de recebimento de combustíveis contínuo, rápido e seguro contra vazamentos e o desenvolvimento de pesquisas na área de Segurança, Meio Ambiente e Saúde (SMS). Ele contempla, também, melhorias nas instalações de terra, visando ao constante aperfeiçoamento da segurança ambiental e à preservação do delicado ecossistema Antártico.

O novo sistema de abastecimento prevê a instalação de um carretel, de cerca de mil metros, de tubo flexível retrátil, cuja extremidade será conectada ao navio nas operações de descarga do combustível. Ao todo, serão investidos pela Petrobras R$ 3 milhões.

Marcos José de Carvalho Ferreira, O secretário da Secretaria da Comissão Interministerial para os Recursos do Mar (Secirm), afirmou que a Petrobras tem sido fundamental pelo empenho com o programa há mais de duas décadas. "Sem o adequado apoio logístico à estação, nenhum projeto científico poderia prosperar. Esse novo sistema que pretendemos instalar possibilitará o abastecimento de combustível a partir dos navios da Marinha em tempo muito reduzido relação ao que hoje praticamos, e principalmente com maior segurança do ponto de vista ambiental", pontuou.

Como contrapartida, a Marinha dará apoio logístico e operacional à Petrobras, que realizará pesquisas para o uso de energias renováveis, a geração de energia em sistemas isolados e ambientes severos de baixas temperaturas e a avaliação de eficiência energética. Também serão realizadas pesquisas na área de SMS, úteis na atuação em regiões isoladas.

O diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, ressaltou que é vital conhecer a fundo as trocas de temperatura que ocorrem na Antártica para a prevenção contra as mudanças climáticas.

"O acordo possibilitará importantes melhorias nas instalações e operações da estação, que atendem plenamente os requisitos de segurança ambiental necessários à preservação do delicado ecossistema da Antártica, que, como sabemos, exerce profunda influência no clima global", destacou.

(Redação - Agência IN)