Material escolar e viagem no carnaval pedem planejamento

Carolina Eloy, Jornal do Brasil

RIO - Quem não planejou os gastos com material escolar e carnaval deve ficar atento ao aumento das dívidas neste início de ano. Além da tradicional pesquisa de preços, o ideal é procurar lojas que parcelem sem juros. Consultores sugerem que as crianças não participem da compra do material escolar, para evitar produtos mais caros com a estampa de personagens. Outra dica para reduzir os custos é a troca de livros didáticos com outros alunos. No caso da falta de planejamento, consultores desaconselham viagens no carnaval. Essas despesas podem complicar o orçamento na mesma época do pagamento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU).

O professor da XP Educação Leandro Rassier explica que os gastos com as listas das escolas podem representar de 5% a 10% do salário. Para ele, isso precisa ser pensado ao longo do ano e não deveria passar de 3% da receita mensal.

Além de trocar os livros didáticos e aproveitar as promoções que aparecerem, os consumidores devem comprar somente o necessário. Um produto simples, sem ser de marca famosa, pode ficar até 50% mais barato destaca.

Com quatro filhos, o sócio da agência 11|21 Ronaldo Conde percorre lojas todo início de ano em busca do melhor preço de material escolar.

Como a diferença entre eles é muito grande, não dá para aproveitar o material de um para o outro. Por isso, a solução é pesquisar e tentar descontos à vista afirma.

O consumidor pode começar a se planejar para o próximo ano, avaliando uma quantia a ser reservada desde já para a compra do material escolar de 2011, recomenda o consultor financeiro Augusto Saboia. Segundo ele, é possível guardar uma parte do salário para comprar à vista.

Para Saboia, é importante levar as crianças para as compras e promover a educação financeira da família. Se os pais não podem comprar, é melhor dar opções de produtos que caibam no orçamento. Assim, as crianças já aprendem que existem limites para gastar , defende.

A advogada Renata Araújo sempre planeja sua viagem de carnaval. Há seis anos, ela começa a pagar os pacotes em junho ou julho do ano anterior. Pago mais barato comprando com antecedência e posso escolher diversos destinos.

Feira para a troca de livros reduz custos com material

Uma feira de troca de livros, que reúne exemplares de todas as séries, é uma solução de economia com a compra de material didático desde 2004 para os pais do Colégio São Vicente de Paulo, no Cosme Velho. Durante dois dias, os responsáveis pelos alunos podem fazer bons negócios, destaca Graça Vasconcellos, funcionária do colégio que faz parte da organização da feira.

Para Graça, criar a cultura de cuidado e de reaproveitamento é importante. Ela disse que alguns livros sobram; uns ficam guardados para alguma necessidade; outros são doados.

A dona de casa Carla Dias tem dois filhos e todo ano combina com uma amiga que tem filhas no mesmo colégio, o para trocar os livros.

O administrador Paulo Sain ressalta que o consumidor deve evitar fazer dívidas e buscar suas formas de economizar. Ele criou, junto com outros especialistas, um site que ajuda o consumidor a organizar seus gastos (www.minhaseconomias.com.br).