Sarney defende punições para fundação que leva seu nome

SÃO PAULO, 18 de janeiro de 2010 - O presidente do Congresso Nacional, senador José Sarney (PMDB-AP), afirmou hoje, em nota à imprensa, que nunca teve participação na administração da fundação que tem seu nome, sediada em São Luís. Sarney ressaltou que é apenas presidente de honra da fundação.

O senador disse esperar que "a diretoria da instituição dê os esclarecimentos necessários sobre o projeto de patrocínio em foco [da Petrobras] e, caso seja procedente qualquer acusação, que os responsáveis sejam punidos na forma da lei".

A manifestação do senador é em resposta ao relatório preliminar da Controladoria-Geral da União (CGU), enviado ao Ministério da Cultura na última semana, apontando fraudes de R$ 1,3 milhão da Fundação José Sarney. O relatório aponta irregularidades como desvio de recursos, uso de notas frias, falta de comprovação de serviços e contratações irregulares.

O documento da CGU afirma que, em um projeto patrocinado pela Petrobras, pelo menos R$ 129 mil do convênio foram usados para custear despesas não previstas no projeto original. As informações são da Agência Brasil.

(Redação - Agência IN)