Tecnologia da informação cresceu mais que a economia em 2009

Agência Brasil

SÃO PAULO - O setor brasileiro de tecnologia da informação (TI) cresceu em 2009 acima do que se poderia imaginar, disse nesta sexta-feira à Agência Brasil o presidente da Associação Brasileira das Empresas de TI e Comunicação (Brasscom), Antonio Gil. Dados preliminares divulgados pela entidade indicam que o setor cresceu acima da economia, mostrando expansão de 6% a 8%.

- O volume de faturamento também foi robusto - disse Gil. Ele estimou que somente o setor de TI, excluindo telecomunicações, deve ter faturado cerca de US$ 65 bilhões, 'o que faz com que o Brasil seja, provavelmente, o oitavo maior mercado de TI do mundo'. Incluindo telecomunicações, o faturamento do setor deve se aproximar de US$ 140 bilhões, 'o que vai representar de 7% a 8% do Produto Interno Bruto (PIB)', que é a soma dos bens e serviços produzidos no país.

No que se refere às exportações, a Brasscom espera que as operações tenham alcançado US$ 3 bilhões, revelando incremento em relação aos US$ 2,2 bilhões exportados no ano anterior. Antonio Gil destacou, porém, que o crescimento ainda é pequeno frente aos US$ 50 bilhões de exportação [de sofwares, isto é, programas de computador, e de serviços de TI] da Índia .

Antonio Gil informou que a tendência do setor é se deslocar para o interior do país, em particular para o Nordeste. Locais como Recife, Salvador, Campina Grande e Fortaleza, além de Curitiba e o interior paulista, são atrativos.

- A competência brasileira está totalmente difundida pelo país. Mas, no interior, existe um interesse muito grande de atrair empresas desse setor - afirmou.

Várias prefeituras têm procurado a Brasscom, interessadas em sediar empresas de TI. Para isso, oferecem benefícios, como redução de imposto de serviço e do Imposto Territorial Urbano (IPTU), às vezes colocando facilidades à disposição das empresas que queiram se instalar ali. Então, você vai ter um grande desenvolvimento fora dos grandes centros do Rio de Janeiro e São Paulo, que são muito caros , acrescentou Gil.