Moda deve movimentar R$ 377 milhões no Rio este ano

Carolina Eloy, Jornal do Brasil

RIO - A maior feira de negócios de moda da América Latina, o Fashion Business, deve movimentar cerca de R$ 377 milhões em sua 15ª edição, de 10 a 13 de janeiro, na Marina da Glória. Do montante, R$ 350 milhões referem-se a vendas para lojistas nacionais e US$ 16 milhões (R$ 27,55 milhões), a comerciantes estrangeiros, segundo estimativas da organização do evento. Em quatro dias, 170 grifes de roupas, acessórios e calçados vão expor seus artigos para cerca de 3 mil visitantes, incluindo convidados da Rússia, Estados Unidos, Dubai, França e Espanha.

Os negócios fechados durante o Fashion Business têm registrado expansão anual entre 10% e 15%. Se esta variação for mantida este ano será um sucesso, já que o mercado de moda não tem crescido muito nos últimos anos destaca Eloysa Simão, uma das responsáveis pelo evento. O investimento direto para realização do Fashion Business foi de R$ 5 milhões, valor que chega a R$ 8,5 milhões considerando patrocínios e parcerias, segundo Eloysa.

O Brasil produz 9,8 bilhões de peças de vestuário por ano e registrou faturamento de R$ 43 bilhões em 2008, segundo dados da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit). O setor conta com 30 mil empresas instaladas, que empregam cerca de 1,65 milhões de trabalhadores.

Eloysa disse que, hoje, o crescimento do mercado de moda deve-se à conquista de mercado nas classes C e D, que têm garantido o aumento das vendas. Contudo, os consumidores das novas tendências de vestuário continuam sendo as classes A e B.

Temos marcas que participam do evento e atendem à classe C, mas são poucas. Independente disso, está havendo uma democratização do luxo, as lojas entendem isso e já produzem peças semelhantes às voltadas para a população de baixa renda avalia Eloysa.

A feira oferece palestras e um salão de tecnologia com serviços e informações para gestores de varejo e de atacado. Os 50 expositores do salão Tech devem oferecer serviços e equipamentos que facilitem e modernizem a operação dos lojistas, desde iluminação, segurança e controle de estoque até ações de marketing musical e olfativo.

A moda tem capacidade de gerar negócios, divisas, e agregar valor. Nesta edição, toda a cadeia produtiva do segmento da moda estará presente para que o lojista possa para ampliar e qualificar suas vendas destacou o presidente da Fecomércio Rj, Orlando Diniz.

O evento é organizado pelo Sistema Fecomércio-RJ, Dupla Assessoria e Escala Eventos. Segundo a federação, o comércio é o maior empregador do mercado da moda no Rio, responsável direto por 103 mil trabalhadores. O segmento de serviços responde por mais de 15% das empresas e 12% dos empregos. Só no estado do Rio, o setor concentra cerca de 40 mil empresas e 179 mil empregados formais, podendo chegar a 500 mil postos de trabalho ao considerar os trabalhadores informais, segundo cálculos da federação.