Fundo de ações da Ashmore Brasil se valoriza 101,5% no ano

SÃO PAULO, 6 de janeiro de 2010 - O desempenho do fundo de investimentos da Ashmore Brasil, o Ações FIC de FIA terminou 2009 acima de seu benchmark. O fundo registrou ao final de 2009 um rendimento de 101,52%, rendendo 28,70 pontos percentuais acima do parâmetro, o IBrX, índice que reúne as 100 ações mais negociadas da Bovespa. De janeiro a dezembro de 2009, o IBrX avançou 72,83%. Em dez dos últimos doze meses, o ganho do Ashmore Brasil Ações foi superior ao de seu benchmark. Em dezembro, a rentabilidade do fundo foi de 2,57% contra 1,73% do IBrX. É importante destacar que o fundo obteve esse desempenho sem o uso de alavancagem.

"Soubemos aproveitar bem as oportunidades oferecidas no mercado de renda variável, seja em ações mais líquidas como também nas menos líquidas. O setor de construção civil, por exemplo, ofereceu excelentes oportunidades e soubemos a hora certa de estar posicionado nas construtoras de baixa renda, depois migrar para as de média e alta renda e, finalmente, para as corretoras imobiliárias. Foi também fundamental saber a hora de reduzir a exposição no setor e buscar outras oportunidades. Julgamos extremamente relevante ter uma gestão ativa, mesmo quando se tem uma abordagem orientada a valor", analisa Eduardo Camara Lopes, diretor executivo e Chairman do Comitê de Investimento da Ashmore Brasil.

O fundo tem gestão ativa e a meta de gerar retornos significativamente acima do IBrX no longo prazo. Para isso são combinadas estratégias Top-Down e Bottom-Up. A Top-Down analisa as ações de uma empresa levando-se em conta fatores macroeconômicos e o setor de atuação, enquanto que a Bottom-Up foca em identificar ações de companhias que têm grande potencial de valorização, independentemente do setor no qual estão inseridas.

Ao final de dezembro, o fundo Ashmore Brasil Ações FIC de FIA somava Patrimônio Líquido (PL) de R$ 36,4 milhões. Esse fundo foi aberto em dezembro de 2008.

(Simone e Silva Bernardino - Agência IN)