Receita pode receber até R$ 2,1 mi de impostos da malha fina

SÃO PAULO, 23 de dezembro de 2009 - Do total de contribuintes que tiveram a declaração retida na malha neste ano, cerca de um milhão, respondem por cerca de R$ 2,1 bilhões em impostos a pagar não incluídos os juros e as multas. Os contribuintes que terão reduzido o valor da restituição porque os dados depois de conferidos mostraram-se inconsistentes, gerando créditos a favor do Fisco, respondem por R$ 472 milhões.

"Alguém pleiteou uma restituição, mas teve o valor indeferido. Isso reduziu o valor do imposto a restituir. Tem gente que eu gloso [questiona o valor a ser restituído ou a ser descontado] que gera imposto a pagar. Tem gente de quem eu só diminuo a restituição", explicou Marcos Vinicius Neder, subsecretário de Fiscalização da Receita.

Do total de declarações em malha neste ano, 12% ficaram retidas por causa de dados inconsistentes com despesas médicas. Outros motivos são a omissão de receitas e as divergência entre valores declarados como rendimentos e os valores declarados pelas fontes pagadoras.

Para fechar o cerco contra os contribuintes que pedem deduções indevidos, os profissionais da área de sáude serão obrigados a preencher a partir de 2011 um novo tipo de declaração. A Declaração de Serviços Médicos (Dmed) deverá conter informações de pagamentos recebidos por pessoas jurídicas prestadoras de serviços de saúde e operadoras de planos privados de assistência à saúde. As informações são da Agência Brasil.

(Sergio Vieira - Agência IN)