Nestlé fecha temporariamente fábrica no Zimbábue

SÃO PAULO, 23 de dezembro de 2009 - A empresa suíça Nestlé anunciou nesta quarta-feira que fechou "temporariamente" sua fábrica de tratamento de leite no Zimbábue, depois de ter sido pressionada pela polícia e as autoridades para comprar leite de alguns fornecedores.

Em 19 de dezembro, o grupo recebeu "uma visita imprevista de dirigentes do governo e da polícia", que trouxeram com eles um caminhão-tanque cheio de leite procedente de produtores sem contrato com a empresa, informou a Nestlé em comunicado.

Ante a recusa da Nestlé em comprar e tratar este leite, dois dirigentes locais da companhia "foram interrogados pela polícia, e libertados no mesmo dia".

"Em tais circunstâncias, as atividades normais e a segurança dos funcionários não podem ser garantidas. Assim sendo, a Nestlé decidiu fechar temporariamente a fábrica", explicou a empresa suíça.

Este anúncio foi feito vários meses depois de problemas semelhantes envolvendo o fornecimento de leite à fábrica zimbabuana da Nestlé. Em 1 de outubro, o grupo avisou que não compraria mais leite a fornecedores sem contrato, uma medida que já havia adotado antes de forma temporária.

"Desde então, a Nestlé Zimbábue tem sido pressionada para comprar e tratar o leite fresco de alguns fornecedores sem contrato, uma demanda que a empresa sempre rejeitou", explicou. As autoridades zimbabuanas chegaram a bloquear brevemente algumas contas bancárias da Nestlé.

A Nestlé possui cerca de 200 funcionários em sua fábrica do Zimbábue, um país onde está presente há 50 anos.

(Redação com agências internacionais - Agência IN)