Lojistas da 25 de Março estimam aumento de até 6% nas vendas

Agência Brasil

SÃO PAULO - Os comerciantes da Rua 25 de Março, um dos maiores centros de comércio popular do país, estimam que as vendas do Natal deste ano tenham sido de 4% a 6% maiores do que as de 2008.

- Conversando com as empresas que vendem artigos natalinos, presentes, brinquedos e bijuterias. Todos obtiveram um crescimento, uns pouco mais, outros pouco menos. Mas todos, bem melhor do que o Natal de 2008 - disse o diretor da União dos Lojistas da 25 de Março e Adjacências (Univinco), Pierre Sarruf.

Nessa época do ano, entre 700 mil e 1 milhão de pessoas circulam por dia na região. Este ano, a procura por produtos mais caros foi maior, segundo Sarruf.

- Esse Natal não foi só de lembrancinha, foi um Natal mais gordo - avaliou.

A disposição de gastar dos frequentadores da 25 de Março se reflete nas gorjetas recebidas por Fábio Teixeira. Ele aproveita que as ruas da região ficam fechadas para o trânsito de veículos para apresentar um espetáculo de embaixadinhas com bola.

Segundo o dublê de artista, seus rendimentos triplicaram com a aproximaçãodo Natal.

- No Natal o pessoal tá mais empolgado, tá gastando, então ajuda mais, é a melhor época - disse.

A temperatura na capital paulista chegou aos 30 graus Celsius (°C) nos dias que antecederam a véspera de Natal. Clima propício para os filhos do pedreiro Edivaldo Viana desfrutarem da piscina de 3 mil litros que ele comprou por um preço "bem em conta".

- Deus ajude que continue esse tempo. Se continuar assim, está bom demais.