Cautela externa toma conta dos negócios e Ibovespa recua

SÃO PAULO, 23 de dezembro de 2009 - Após abrir a sessão desta quarta-feira em alta, a bolsa brasileira inverteu a tendência e passou a operar em terreno negativo. O movimento é influenciado pela cautela proveniente das bolsas dos Estados Unidos. Há pouco, o Ibovespa recuava 0,06%, aos 67.374 pontos. O giro financeiro da bolsa estava em R$ 1,96 bilhão.

O cenário internacional continua pautando os negócios no mercado acionário local. Desta vez, indicadores norte-americanos abaixo do esperado por analistas impulsionaram a ponta vendedora nas praças acionárias em Wall Street e consequentemente puxam o Ibovespa para baixo.

Dentre eles vale ressaltar que os gastos dos consumidores norte-americanos (PCE, na sigla em inglês) registrou crescimento de 0,5% em novembro de 2009, ante o mês anterior. O mercado projetava alta de 0,7% no período. E a renda dos consumidores cresceu 0,4% em novembro deste ano.

No mesmo sentido, o indicador que avalia as vendas de imóveis novos nos Estados Unidos não agradou os agentes financeiros. O índice teve contração de 11,3% em novembro deste ano, quando comparado com o mês anterior. O dado veio bem abaixo das expectativas do mercado (+2,2%).

Além disso, os investidores monitoraram que o número de solicitações de empréstimos hipotecários recuou 10,7% na semana encerrada dia 18 de dezembro, ante o mesmo período da semana anterior, já com ajustes sazonais realizados no período.

Ainda no mercado internacional, a montadora norte-americana Ford Motors anunciou nesta quarta-feira ter concluído um acordo para a venda da filial sueca Volvo para a empresa chinesa Geely Holding.

No Brasil, o cenário corporativo também foi agitado. A GOL Linhas Aéreas Inteligentes anunciou a contratação de linha de crédito para pré-pagamento de aeronaves (PDP Facility), no valor de US$ 150 milhões.

Com isso, pela manhã, as ações preferenciais da companhia aérea figuraram entre as maiores altas do Índice Bovespa. No entanto, instantes atrás, as ações caíam 0,54%, negociadas a R$ 25,40.

Ainda internamente, destaque também para o comportamento do Índice de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15). O indicador registrou variação de 0,38% em dezembro, ficando abaixo da taxa de 0,44% apurada em novembro. Com isso, no acumulado do ano, a taxa ficou em 4,18%.

(Déborah Costa - Agência IN)