Bolsas sobem mesmo com negócios reduzidos

SÃO PAULO, 23 de dezembro de 2009 - Mesmo com os negócios reduzidos em meio as festividades de final de ano, a ponta compradora prevaleceu nas principais bolsas mundiais. Os investidores relevaram os indicadores norte-americanos negativos e mantiveram a trajetória de alta das ações.

Diante disso, as praças acionárias de Wall Street fecharam no azul. O Dow Jones ganhou 0,01%, para os 10.466 pontos; o Nasdaq avançou 0,75%, para os 2.269 pontos; e o S&P 500 subiu 0,23%, para os 1.120 pontos.

No mesmo sentido, as bolsas europeias terminaram o dia valorizadas. Os agentes financeiros resistiram às incertezas com relação ao desempenho da economia norte-americana e se focaram na alta dos preços das commodities no mercado internacional. O FTSE-100, de Londres, avançou 0,82%, aos 5.372 pontos; o DAX, de Frankfurt, subiu 0,20%, aos 5.957 pontos; e o CAC-40, de Paris, ganhou 0,33%, aos 3.910 pontos.

Por aqui, após o forte avanço observado ontem, a bolsa brasileira operou sem muito fôlego no último pregão antes do Natal. Ao final dos negócios, o Ibovespa subiu 0,25%, aos 67.588 pontos. O giro financeiro ficou em R$ 4,35 bilhões. O movimento foi influenciado pelo desempenho positivo das ações da Petrobras.

E na Argentina, o índice Merval teve acréscimo 0,37%, aos 2.249 pontos.

Nas commodities, o barril do petróleo fechou com alta superior a 2%, refletindo o recuo maior do que o esperado dos estoques da matéria-prima nos Estados Unidos. O preço do barril de petróleo do tipo WTI, com vencimento em fevereiro, subiu 3%, cotado a US$ 76,61 na Bolsa de Mercadorias de Nova York (NYMEX, sigla em inglês). E o barril do tipo Brent, com vencimento em fevereiro, avançou 2,6%, negociado a US$ 75,40 no ICE Exchange de Londres.

Na renda fixa, com o resultado do IPCA-15 levemente acima das expectativas do mercado, a curva de juros futuros encerrou o dia sinalizando alta. O Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2011 apontou taxa anual de 10,40%. No câmbio, o dólar fechou em baixa, vendido a R$ 1,75.

(Redação - Agência IN)