Agência de Fomento encerra o ano com mais de R$ 190 milhões

SÃO PAULO, 23 de dezembro de 2009 - Com apenas nove meses de existência, a Nossa Caixa Desenvolvimento já desponta como uma das grandes ferramentas do Governo Estadual para o incentivo à expansão de investimentos.

Com uma receita criativa de atuação, baseada em parcerias com entidades de classe do setor produtivo a Agência de Fomento Paulista já contabiliza R$ 160 milhões em créditos aprovados, com recursos próprios, e mais R$ 33 milhões já aprovados junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A meta para 2010 é chegar a R$ 1 bilhão em créditos.

O sucesso só confirma que a escolha da fórmula de atuação deu certo. Através de diversos acordos com associações, o avanço das operações tem mantido um ritmo bem acelerado. "Ninguém melhor que as entidades de classe para saber as necessidades das empresas de cada setor e a parceria com a Agência de Fomento tem sido importante para diminuir a distância entre as empresas e a Agência de Fomento", explica o diretor-presidente da Nossa Caixa Desenvolvimento, Milton Luiz de Melo Santos.

A fórmula é simples. A agência de fomento entra em contato com as entidades de classe e disponibiliza suas linhas de crédito para financiar projetos das empresas filiadas à entidade. Por sua vez, as associações comunicam seus filiados sobre a oferta da Nossa Caixa Desenvolvimento e começa a receber os projetos para a seleção e encaminhamento final.

Na opinião do executivo, seria muito difícil para a agência chegar às empresas em tão pouco tempo, se não fosse pelas mãos das entidades, que conhecem profundamente seus setores e suas carências.

As condições de juros e prazos são extremamente favoráveis, especialmente para as pequenas e médias empresas, que dificilmente conseguem obter crédito junto ao mercado financeiro, explica Santos. As linhas de financiamento para projetos, em geral, tem até 60 meses de prazo para pagamento dos financiamentos, com 12 meses de carência. Tudo isso a uma taxa de juros bem competitiva, em torno de 8% ao ano mais correção do IPC-Fipe.

Com um capital próprio de R$ 1 bilhão, a Nossa Caixa Desenvolvimento espera chegar até o final de 2010 com um saldo de empréstimos no valor de R$ 1 bilhão entre recursos próprios e do BNDES. "Nossa meta é ser o maior agente repassador de recursos do BNDES em São Paulo, um valor que só é factível graças ao modelo de parcerias que adotamos", acrescenta Santos.

(Redação - Agência IN)