Relatório de inflação centra atenção e taxas ficam sem direção

SÃO PAULO, 22 de dezembro de 2009 - Os prêmios dos contratos de Depósito Interfinanceiro (DI) operam sem direção definida nesta terça-feira com os investidores reagindo ao Relatório Trimestral de Inflação, divulgado hoje pela autoridade monetária. Há pouco, o DI com vencimento em janeiro de 2011 projetava taxa anual de 10,36% ante 10,33% do ajuste anterior. Janeiro de 2012 registrava juro de 11,82%, contra 11,85% ao ano.

No documento o Banco Central (BC) fez uma avaliação positiva sobre o comportamento da atividade econômica brasileira após o período de impactos diretos da crise financeira internacional.

"Embora os números ainda sejam negativos na comparação interanual, a atividade econômica praticamente retornou ao ritmo de crescimento vigente antes da intensificação da crise mundial, exibindo rápida recuperação", diz o documento.

Ainda segundo o Relatório Trimestral de Inflação, a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve acumular variação de 4,6% em 2011. O percentual é o mesmo esperado pelo BC para 2010 e está 0,1 ponto acima do centro da meta definida pelo governo, de 4,5%. Para 2009, a projeção central é de variação de 4,3% .

Já para o Produto Interno Bruto (PIB) deste ano, a autoridade monetária reduziu a estimativa para 0,2%, ante expansão de 0,8% projetada anteriormente. Para 2010, o BC espera que o crescimento da economia brasileira fique em 5,8%.

Para a equipe econômica da Gradual Investimentos, no geral o documento apresenta um cenário positivo para a economia brasileira nos próximos meses, onde o crescimento é fruto do comportamento doméstico sendo ameaçada fundamentalmente pela dinâmica externa deteriorada, especialmente nas economias maduras.

Hoje foi divulgado também o resultado do Índice de Confiança do Consumidor (ICC) que registrou queda de 2,4% em dezembro deste ano ante o mês anterior, se situando em 112,3 pontos, com ajuste sazonal.

(Maria de Lourdes Chagas - Agência IN)