Perspectiva da atividade econômica cai em outubro

SÃO PAULO, 22 de dezembro de 2009 - O Indicador Serasa Experian de Perspectiva da Atividade Econômica registrou em outubro variação negativa de 0,17%, a segunda mensal consecutiva já que em setembro o recuo sobre o mês anterior havia sido de 0,03%. Com a queda de outubro, o indicador atingiu o nível de 100,1.

De acordo com a sua metodologia de construção, o indicador busca visualizar, com seis meses de antecedência, a posição cíclica da economia brasileira. Como o indicador vem oscilando há cinco meses ao redor do nível 100, isto indica que o hiato do produto, isto é, a diferença entre o Produto Interno Bruto (PIB) efetivo e o PIB potencial (hoje negativo na casa de 1%) deverá "fechar" entre o final do quarto trimestre de 2009 e início do primeiro trimestre de 2010.

Entretanto, esta estabilização do Indicador Serasa Experian de Perspectiva da Atividade Econômica em torno de 100 aponta que um eventual cenário de superaquecimento da economia não deverá se configurar, pelo menos até os meses finais do primeiro semestre de 2010, reduzindo as chances de presenciarmos um novo ciclo de aperto monetário neste período.

A recomposição do superávit primário, anunciada pelo governo visando o cumprimento da meta para 2010, a elevação das taxas de juros de longo prazo nos mercados de futuros e alguma desaceleração esperada no ritmo de concessões reais de crédito aos consumidores (conforme apontado pelo Indicador Serasa Experian de Perspectiva de Crédito ao Consumidor), motivada, entre outros fatores, pelo descompasso entre o crescimento do endividamento das pessoas físicas vis-à-vis à expansão da massa de rendimentos, deverão figurar entre os fatores a impedir que tal cenário de superaquecimento econômico se concretize durante o primeiro semestre de 2010.

(Redação - Agência IN)