Cena externa e commodities puxam recuperação do Ibovespa

SÃO PAULO, 21 de dezembro de 2009 - Após um desempenho ruim da bolsa brasileira nas sessões anteriores, a semana do Natal começa com os investidores voltando a apostar em ativos de risco. O desempenho das bolsas norte-americanas e a valorização das commodities puxam o Ibovespa para cima. Há pouco, o índice subia 0,91%, aos 67.402 pontos. O giro financeiro da bolsa estava em R$ 5,64 bilhões.

Nos Estados Unidos, com a agenda vazia de indicadores de peso, os agentes acompanharam que o índice que avalia a atividade nacional (CFNAI, na sigla em inglês) do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) ficou em 0,32 pontos negativo em novembro deste ano.

Dentre as notícias que centraram as atenções dos agentes no cenário internacional está a aquisição da Chattem pela Sanofi-Aventis. O valor da operação foi calculado em US$ 93,50 por papel, totalizando uma transação de US$ 1,9 bilhão.

No Brasil, o ambiente corporativo foi movimentado. A Positivo Informática informou hoje que formalizou a aquisição da Boreo Comércio de Equipamentos, detentora da marca de computadores Kennex, pelo valor de R$ 5,5 milhões. Há pouco, as ações ordinárias da companhia negociadas no Ibovespa avançavam 2,52%, para R$ 20,72.

Por sua vez, a TAM anunciou a aquisição da totalidade das ações de emissão da Pantanal Linhas Aéreas. A companhia vai pagar aos vendedores das ações o valor de R$ 13 milhões. Instantes atrás, os papéis preferenciais da empresa valorizavam 2,30%, cotados a R$ 36,52.

Já a Laep Investments, dona da Parmalat, comunicou que a Lácteos do Brasil recebeu autorização da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para a realização de oferta pública de aquisição de ações (OPA) de ações da Parmalat. O objetivo da operação é efetivar o fechamento do capital e o cancelamento de registro de companhia aberta.

Dentre as blue chips Vale e Petrobras, o movimento comprador prevalece, com as ações preferenciais de ambas marcando acréscimos de 0,65% e 0,48%, respectivamente. As cotações da estatal petrolífera operam em sintonia com os preços do petróleo no mercado internacional. O preço do barril do tipo WTI, com vencimento em janeiro, crescia 0,5%, a US$ 73,70.

(Déborah Costa - Agência IN)