Projeções passam a sinalizar queda na BM&FBovespa

SÃO PAULO, 24 de novembro de 2009 - Sem indicadores relevantes domésticos hoje, a curva de juros futuros sinaliza queda nesta terça-feira. Há pouco, o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2011 recuava de 10,17% para 10,13% ao ano.

Os agentes financeiros centram as atenções na sabatina de Aldo Mendes, indicado para diretor de Política Monetária do Banco Central (BC). O economista Mendes está sendo sabatinado, na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), no Senado. A indicação precisa ser aprovada pela CAE e pelo plenário do Senado para que Mendes assuma o cargo.

Dados de conta corrente e dos investimentos estrangeiros diretos de outubro também estão sendo monitorados pelo mercado. Segundo o BC, a dívida externa brasileira foi estimada US$ 204 bilhões em outubro deste ano, com incremento de US$ 2,1 bilhões na comparação com o mês anterior. Os investimentos estrangeiros no mercado financeiro subiram significativamente em outubro, fechando o mês em US$ 17,119 bilhões, o maior valor desde o início da série histórica do Banco Central, em 1947.

No front externo, os agentes aguardam a divulgação da ata do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc), dos Estados Unidos, do último encontro de política monetária, realizado nos dias 3 e 4. Os investidores vão em busca de detalhes sobre o programa de compra de ativos lastreados em hipotecas.

(Maria de Lourdes Chagas - Agência IN)