Gabrielli: há "divergências técnicas" entre Petrobras e TCU

Keila Santana, Portal Terra

BRASÍLIA - O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, minimizou o relatório do Tribunal de Contas da União que apontou indícios de superfaturamento nas obras da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco.

- De cada 100 indícios de irregularidades apontadas por relatórios do TCU apenas cinco aparecem no final dentro do TCU mesmo, isso sem contar o que acontece fora. Estamos agora esclarecendo as divergências técnicas entre nós e os técnicos do TCU - disse Gabrielli.

Na comissão de Orçamento do Congresso Nacional, Gabrielli negou que existam irregularidades na construção da refinaria. José Sérgio Gabrielli disse que os cálculos do TCU sobre a obra de terraplanagem estão incorretos, porque foram considerados números e valores de construção de estradas, e não de uma refinaria de petróleo.

- As obras de terraplanagem representam menos de 10% do valor total da obra. Não é possível comparar custos da refinaria aos de estradas - disse. - Isso seria incorreto.

O presidente da Petrobras disse que não há falhas no projeto básico de Abreu e Lima. As explicações de Gabrielli foram as mesmas oferecidas à CPI da Petrobras no Senado. Os auditores do TCU sustentam que há suspeitas de superfaturamento de cerca de R$ 50 milhões nas obras de terraplanagem.