Bolívia e Irã defendem uso de energia nuclear para fim pacífico

SÃO PAULO, 24 de novembro de 2009 - Os presidentes da Bolívia, Evo Morales, e do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, reconheceram o "direito legítimo" do uso e desenvolvimento de energia nuclear com objetivos pacíficos, pelos países, segundo declaração conjunta assinada nesta segunda-feira pelos dois líderes, em La Paz.

Os presidentes dos dois países, que estabeleceram relações diplomáticas em 2007, pediram "às nações possuidoras de armas nucleares que, em conformidade com seus compromissos internacionais, sobretudo os estabelecidos no Tratado de Não-Proliferação de Armas de Destruição em Massa, adotem o mais rápido possível as medidas necessárias para sua eliminação".

Também condenaram os crimes cometidos pelo regime que ocupou os territórios palestinos, destacando a necessidade de julgar os líderes políticos e militares desse agressor, em tribunais internacionais, por crimes de guerra e atentados contra os direitos humanos.

Os dois presidentes querem que "a Região do Oriente Médio seja declarada livre de armas nucleares, para o que deverá ser destruído todo o arsenal instalado nos territórios ocupados da Palestina".

(Redação com agências internacionais - Agência IN)