Aplicações estrangeiras no mercado de ações são recorde

Kelly Oliveira, Agência Brasil

BRASÍLIA - As aplicações de estrangeiros em ações negociadas no Brasil somam US$ 9,705 bilhões em outubro, segundo informou hoje (24) o Banco Central (BC). Esse é o maior total da série histórica, iniciada em 1947.

O ingresso intenso no mês passado foi influenciado pelo lançamento de ações do Banco Santander e ocorreu em maior parte antes da vigência da taxação de 2% de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) sobre investimentos estrangeiros em ações e renda fixa. A medida passou a valer a partir do dia 20 de outubro.

Também é recorde a aplicação de estrangeiros em ações totais, ou seja, as negociadas no país e as vendidas no exterior. O valor ficou em US$ 14,449 bilhões em outubro.

No caso das American Depositary Receipts (ADR) o total chegou a US$ 4,744 bilhões. Por esse mecanismo, uma empresa brasileira registra ações na Bolsa de Nova York, embora mantenha os papéis depositados num banco no Brasil. Neste mês, o governo também decidiu cobrar IOF dos investidores que aplicarem em ações brasileiras negociadas na bolsa de Nova York. A medida passou a valer no último dia 19 e a alíquota é de 1,5%.

As aplicações em renda fixa negociadas no país, em outubro, chegaram a US$ 1,975 bilhão.

Para o chefe adjunto do Departamento Econômico do BC, Túlio Maciel, ainda é cedo para avalia o "impacto efetivo" da cobrança do IOF no fluxo de investimentos.

Maciel acrescentou que além do IOF, há vários fatores que afetam esses investimentos, como o comportamento do câmbio e a expectativa de rentabilidade, por exemplo.

Neste mês, até o dia 18, o investimento de estrangeiros em renda fixa negociada no Brasil está em US$ 351 milhões. Já a aplicação em ações negociadas no país soma US$ 1,521 bilhão. Os investimentos em ações negociadas no exterior estão em US$ 1,736 bilhão.