Ibovespa sobe 0,73% com bom humor externo

SÃO PAULO, 23 de novembro de 2009 - A valorização das commodities no mercado internacional e o clima de otimismo externo influenciaram o índice acionário da BM&FBovespa durante a sessão. O Ibovespa que chegou a bater os 67.365 pontos reduziu o ritmo de ganhos e encerrou com valorização de 0,73%, aos 66.809 pontos. O giro financeiro da bolsa ficou em R$ 5,19 bilhões.

O mercado repercutiu positivamente a notícia de que as vendas de imóveis usados nos Estados Unidos avançaram 10,1% em outubro deste ano, para uma taxa anualizada de 6,10 milhões de unidades. O índice também ficou acima (23,2%) na comparação com outubro de 2008, que registrara 4,94 milhões de unidades vendidas.

Além disso, os agentes também acompanharam que a Associação Nacional de Economistas Empresariais estimou que o Produto Interno Bruto (PIB) norte-americano crescerá 2,9%. O número ficou acima da estimativa de outubro, que era de 2,6%.

No Brasil, o avanço nos preços das commodities influenciou o comportamento do Índice Bovespa, uma vez que as ações que possuem maior peso são relacionadas as matérias-primas. Com isso, os papéis preferenciais da Vale terminaram com ganhos de 0,87%, vendidos a R$ 42,87, enquanto que os preferenciais da Petrobras cresceram 0,90%, para R$ 38,85.

Os preços do petróleo no mercado internacional ajudaram no movimento das cotações da estatal petrolífera. A cotação do barril do tipo WTI, com vencimento em janeiro, subiu 0,1%, vendido a US$ 77,55 na Bolsa de Mercadorias de Nova York (NYMEX, sigla em inglês). Enquanto isso, o barril do tipo Brent, com vencimento em janeiro, cresceu 0,5%, negociado a US$ 77,59 no ICE Exchange de Londres.

Para Roberto Alem, economista da M2 Investimentos, a bolsa brasileira acompanhou o desempenho dos índices norte-americanos, mas reduziu o ritmo de ganhos com os investidores realizando lucros.

"Acredito que teve um pouco de realização de lucros, uma vez que não teve nada que interferisse para diminuição da alta. A bolsa está em um patamar muito forte e alto e tem investidores que no curto prazo vão tentando aproveitar esta oscilação", disse o economista da M2 Investimentos.

Entre as maiores quedas do índice acionário ficaram as ações preferenciais da Net, com declínios de 3,12%, a R$ 23,25, ordinárias da Usiminas, com quedas de 2,97% e preferenciais da Tim, baixas de 2,24%. Já dentre os destaques de alta figuraram os papéis da Rossi, que terminaram com ganhos de 4,37%, ordinários da CCR, com apreciações de 3,88% e ordinários da Gafisa, que subiram 3,82%.

(Déborah Costa - Agência IN)