Apetite por risco mantém dólar enfraquecido mundo afora

SÃO PAULO, 23 de novembro de 2009 - O cenário de juros próximo de zero aliado ao excesso de liquidez e apetite por risco mantém dólar fraco ante seus principais rivais e por aqui não é diferente. No fim da manhã, a divisa norte-americana perdia 0,46%, a R$ 1,720 na compra e R$ 1,722 na venda.

Apesar da tendência, a volatilidade deve continuar permeando o ambiente de negócios nos mercados globais ainda por alguns meses. "Mas no que depender da ata do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc), dos Estados Unidos (com divulgação nesta quinta-feira), os investidores seguirão otimistas e o dólar seguirá fraco, uma vez que o cenário traçado pela ata deverá dar suporte à manutenção dos juros baixos por um longo período de tempo, assim como aconteceu no comunicado divulgado após a reunião", avalia Miriam Tavares, diretora de câmbio da AGK corretora. Segundo ela, o relatório não deverá mostrar novidades, refletindo a visão mais positiva do Fomc para atividade, inflação contida e recuperação gradual da economia.

Além do Fomc, o feriado norte-americano de Ação de Graças (na quinta-feira), faz com que as muitas divulgações importantes dos Estados Unidos fiquem concentradas no começo da semana. Destaque para a revisão do PIB do 3º trimestre, dados do setor imobiliário, confiança do consumidor e dados de renda e gastos das famílias.

Internamente, os investidores trabalham com as perspectivas de novas medidas governamentais para conter a velocidade da valorização do real, o que deve impedir que o câmbio rompa a barreira psicológica de R$ 1,70 nesta semana, mesmo em um ambiente externo ainda mais favorável.

(Simone e Silva Bernardino - Agência IN)